quarta-feira, 2 de julho de 2008

COPA RIO 1951




A Copa Rio de 1951 foi disputada por 8 equipes da Europa e América do Sul entre 30 de Junho e 22 de Julho de 1951 em São Paulo e no Rio de Janeiro, nos estádios do Pacaembu e Maracanã, respectivamente.

História

Em janeiro de 1951, o jornal "O Globo Sportivo" destacou a notícia de que o presidente da FIFA, Jules Rimet, concedia o apoio da entidade presidida por ele ao torneio que a CBD almejava realizar no Rio de Janeiro. Com isso, nomeou oficialmente Ottorino Barassi para o comitê organizador daquela disputa. A citada matéria foi assinada pelo jornalista francês Albert Laurence, que à época era integrante do L'Équipe e France Football.

O entusiasmo criado em torno da competição era latente, tanto que a Associação Uruguaia de Futebol suspendeu o campeonato nacional durante o período de um mês entre o final de junho e julho para que o Nacional disputasse a competição. Essa informação está presente em uma ata do dia 15 de junho de 1951, assinada por dirigentes de todos os clubes da primeira divisão do futebol uruguaio. Fato idêntico ocorreu em São Paulo, onde o campeonato paulista foi igualmente paralisado. As paralisações não seriam possíveis se a Copa Rio não tivesse a dimensão de competição oficial.

Na época, a maioria da imprensa apontava o Vasco como o grande favorito para conquistar a Copa Rio. Houve uma certa surpresa quando o Palmeiras eliminou o Vasco, que havia sido apontado pelo técnico da equipe austríaca Áustria Viena como "uma máquina de jogar futebol".

O Palmeiras sagrou-se campeão ao empatar por 2 a 2 com a Juventus de Turim, após vencer a primeira partida das finais por 1 a 0. A FIFA[1] participou ativamente da organização do torneio, que teve como representante o secretário geral e vice-presidente Ottorino Barassi. A entidade máxima do futebol indicou os árbitros e a final contou com a presença do Ottorino Barassi para efetuar a entrega da Taça ao vencedor. A imprensa dos países envolvidos na competição noticiou o torneio além de enviarem correspondentes ao Brasil.

A competição

Abalados pela perda do título mundial para o Uruguai em 1950, os brasileiros estavam sedentos por uma conquista expressiva. Com o intuito de não esfriar a paixão dos torcedores pelo futebol, a CBD (Confederação Brasileira de Desportos), atual CBF, organizou em 1951 o Torneio Internacional de Clubes Campeões, que depois ficou conhecida como a Copa Rio.

Apesar da década de 50 representar um incômodo jejum de sete anos sem título (1952 até 1959), o Palmeiras conseguiu formar uma das principais equipes do país na ocasião. O fator determinante deste rápido sucesso chegou do Rio de Janeiro e atendia pelo nome de Jair da Rosa Pinto, que depois viria a se tornar um dos principais nomes da história do futebol nacional.

Empolgados por realizarem uma excursão na Espanha em 1949, a primeira por sinal de um clube brasileiro em territórios estrangeiros, os dirigentes do Verdão acertaram a contratação do jogador e começaram a formar o time que conquistaria tudo nos anos de 1950 e 1951.

As conquistas do "Ano Santo", que depois acabou sendo denominado pelos palmeirenses como "o Ano das Cinco Coroas", começou logo nos primeiros meses de 1950, com o título Taça Cidade de São Paulo. Após o ótimo desempenho e o título do Campeonato Paulista, o Palmeiras venceu o Torneio Rio-São Paulo, e já em 1951, ficou com o bi da Taça Cidade de São Paulo e chegou com moral elevada para a disputa da Copa Rio.

A competição, que recebeu o aval da Fifa, foi supervisionada de perto por membros da entidade máxima do futebol, reuniu os principais campeões nacionais da Europa e da América do Sul.

Junto do Olympique de Nice da França, do Estrela Vermelha da Iugoslávia, da Juventus da Itália, do Nacional do Uruguai, do Austria Viena, e do Sporting Lisboa de Portugal, os brasileiros Vasco e Palmeiras lutavam pelo título, que na época foi denominado pela imprensa como o primeiro campeonato mundial interclubes.

Com sedes em São Paulo e no Rio de Janeiro, as oito equipes foram dividas em dois grupos. Depois de vencer o Olympique de Nice na estréia por 3 a 0 e o Estrela Vermelha por 2 a 1, o Verdão levou uma goleada de 4 a 0 dos italianos da Juventus de Turim e assim encerrou a primeira fase da competição, assegurando uma das vagas nas semifinais da competição para fazer o encontro doméstico diante dos vascaínos.

Apesar da equipe carioca ser formada pela base da seleção brasileira vice-campeã mundial em 1950, o Palmeiras conseguiu, com uma vitória e um empate, chegar à decisão para enfrentar mais uma vez a Juve.

No primeiro jogo, vitória alviverde por 1 a 0 com gol de Rodrigues. Na segunda partida, no dia 22 de julho de 1951, com um Maracanã recebendo 117 mil espectadores e tendo renda recorde até então, o Palmeiras empatou em 2 a 2 com a Juventus, conquistando uma das suas maiores glórias de toda a sua história, tornando-se o Primeiro Campeão Mundial de Clubes.


Grupo do Rio de Janeiro




Nenhum comentário: